Sinais de diabetes insipidus em Cães

Canina diabetes insipidus é uma doença rara, caracterizada pela falta de habilidade para preservar a água. Os sinais típicos de diabetes insípido nos cães incluem poliúria, polidipsia, perda de peso, pelagem opaca e desidratação, entre outros. Leia até obter uma conta detalhada dos sintomas e tratamento desta condição doença em cães.

Os cães são susceptíveis a diversos tipos de diabetes, das quais a diabetes insipidus é uma delas. Por aqui, o animal de estimação aflito não é capaz de reter a água normalmente. Assim, canina diabetes insipidus não é de forma alguma relacionada com a diabetes mellitus,  qual está associada com o metabolismo do açúcar impróprio. Um cão com este problema de saúde manifesta mudanças comportamentais e sintomas notáveis. Assim, os proprietários de cães devem manter uma vigilância sobre a saúde do seu animal de estimação de forma diligente para o diagnóstico precoce de diabetes insipidus.

Indicações de diabetes insipidus em Caninos
Diabetes insipidus canina é classificada em dois tipos, com base na patologia do problema. A primeira é a diabetes insípida central em que o problema de saúde decorre de anomalias no cérebro. Por outro lado, diabetes insípida nefrogénica é um resultado de distúrbios renais. Fatores genéticos e ambientais são responsáveis ​​por desenvolver este tipo de diabetes canina. A causa também pode estar relacionada com tumor  e trauma na cabeça, e doenças renais. Sinais notáveis ​​de diabetes insipidus canina são listados abaixo.

Aumento da urina: Semelhante a diabetes em seres humanos, os resultados de diabetes canina insipidus consistem em micção freqüente (poliúria), ou excesso de produção de urina diluída. Ao coletar a amostra de urina cada vez que o animal passa a urina não é uma idéia prática para o proprietário do animal de estimação,pois há muitos sintomas mais para ver para que, coletivamente, significam diabetes insípida caninos.

Densidade Baixa de Urina: Para um cão com este tipo de diabetes, a gravidade específica da urina cai abaixo de 1,012. Este é, talvez relacionado com a produção de urina clara em quantidades anormalmente grandes e ingestão excessiva de líquido. Se o animal apresenta comportamento de eliminação incomum, como a casa com sujidade e urinando em áreas restritas, é hora de coletar amostras de urina e verificar se há problemas de saúde subjacentes.

Ingestão de água aumentou: Em geral, a água potável para cerca de 1,38 onças por quilo de peso corporal do cão (ou 90 ml de água por kg de peso corporal) é considerada normal. Mas, se tem o montante da ingestão diária de água que excede mais do que isso e as experiências de estimação aumentam sede, canina diabetes insipidus é suspeita, e uma visita ao veterinário é sugerido.

Efeito de desidratação: Um dos sinais evidentes de diabetes insipidus em cães é a desidratação. Desde conservação normal da água é prejudicada, é compreensível que o cão afetado apresenta sinais de desidratação. Além de fraqueza, letargia e falta de participação nas atividades diárias, o revestimento do animal de estimação pode parecer maçante e seco.

Correndo com Alta Temperatura: Outro sinal  menos comum de diabetes insípida canina é a febre. A razão exata para causar aumento da temperatura corporal em cães de estimação aflitos permanece desconhecida para os veterinários. Mas, pode ser por causa de fraqueza geral e outras condições de saúde referidas de diabetes insípida canina.

Outros sintomas prováveis: Além dos sinais acima, a doença é freqüentemente associada com desequilíbrio eletrolítico, perda de peso repentina, perda de coordenação e convulsões. Além disso, o nível de hormona antidiurética (ADH) cai abaixo do intervalo normal recomendada. Assim, o teste de ADH é utilizado como uma ferramenta fiável para o diagnóstico de diabetes insipidus em cães.

Como tratar a diabetes insipidus canina?
Para o diagnóstico de diabetes insípida, exame cuidadoso dos sintomas do animal de estimação junto com os exames médicos serão realizados pelo médico veterinário. O objetivo é descartar outros distúrbios metabólicos que podem causar poliúria e sede excessiva. Uma vez que o tipo de diabetes insipidus é confirmado, as abordagens de tratamento adequado será recomendadas para o cão de estimação. Intervenção terapêutica para ambos os tipos envolve a administração de medicamentos em doses adequadas. Aos cães afetados deve ser dada muita água e sódio com dieta restrita para evitar a desidratação.

A diabetes insípida central é tratada com acetato de desmopressina (vasopressina hormona sintética), o que está disponível sob a forma de comprimidos orais, colírios, sprays nasais e injecções. Ele regula a produção de urina e é um mecanismo de conservação da água do corpo. Quanto ao tratamento de diabetes insipidus nefrogênica em cães, o veterinário pode recomendar diuréticos de tiazina. A acção terapêutica destes diuréticos altera o modo como o rim funciona, para assegurar a produção de urina concentrada. Se necessário, analgésicos podem ser prescritos para aliviar a dor em cães doentes.

Felizmente, esta forma de diabetes canina nem sempre é grave. Vários animais diagnosticados com o mesmo, levam uma vida normal com o tratamento adequado e cuidados por parte do proprietário do cão. A regra de ouro é a monitorizar sinais de diabetes insipidus em cães e diagnosticá-los o mais cedo possível. Após isso, o tratamento correto deve ser prosseguido para aliviar sintomas de desconforto para garantir a recuperação rápida do cão doente.




Related posts

Leave a Comment