Comportamento do cão depois de castração

Preocupado com o seu cão comportamento após a esterilização? O seguinte artigo irá ajudá-lo a resolver suas questões no cão esterilização pós comportamento.

Cães que não são castrados, muitas vezes apresentam agressividade, micção submissa, desobediência. Eles podem se tornar hiperativos ou ignorar completamente seu proprietário. Assim, o conselho de muitos veterinários é castrar cães machos. A castração de cães machos, especialmente filhotes, pode trazer a mudança em seu comportamento. Em cães mais velhos, comportamento indisciplinado torna-se um hábito e pode levar várias semanas ou meses para ver a diferença de comportamento do cão. Vamos ver os efeitos de castração ou de esterilização em comportamento canino.

Comportamento de um cão castrado

A fim de coibir este comportamento agressivo e destrutivo, veterinários proprietários dão conselhos para castrar cães machos. Pode-se obter um cão castrado em qualquer idade, mas, como mencionado anteriormente, é melhor castrar um cão quando ele está jovem e saudável com cerca de 6 meses de idade. Quando ambos os testículos desceram no escroto, então uma pequena cirurgia é aconselhada. O cão vai recuperar muito rapidamente após a cirurgia, quando um ou ambos os testículos são retidos no interior da cavidade abdominal. Para aqueles que estão fortemente impulsionados pelos níveis de testosterona no sangue ,vai levar algum tempo para mostrarem a mudança de comportamento. Deve-se ter em mente que a castração não muda a atitude do cão com as pessoas, mas diminui a sua agressividade, devido à diminuição dos níveis de testosterona. Você também vai encontrar cães a ser mais calmos perto de outros cães, após a esterilização.

O comportamento sexual de um macho pode desaparecer após a castração, embora os filhotes podem continuar a mostrar alguma atividade sexual que eles exibiram antes de castração, como eles estão crescendo. A castração mostra freqüências reduzidas de lutas de cães e tendências de dominância sobre outros. Mas o cão continuará a ser territorial. É um mito de que o cão não vai mais guardar a casa após a esterilização. A verdade é que a castração não afeta o temperamento básico e inteligência do cão.

Além disso, a tendência de um cão castrado de urinar em volta da casa irá reduzir consideravelmente. Isso pode causar ganho de peso, em alguns cães. Isto é porque o cão se torna menos activo após a esterilização e deverá proporcionar o tempo suficiente para exercer o cão de modo que se mantenha em forma e activo.Há também um risco de redução em latido excessivo e hiperactividade.

O que é castração ou esterilização?

Castração ou esterilização, também chamada de alteração, é um procedimento cirúrgico que impede o animal de se reproduzir. Castração realmente significa remover os ovários e é, como tal, um termo que é reservado para as fêmeas. Quando o cão atinge a puberdade em torno de três meses e meio de idade, eles são como adolescentes pequenos. Raças de cães pequenos, como chihuahuas, Yorkshire Terrier, etc. são adolescentes até um ano de idade. As médias raças de cães como labrador, pastores alemães, etc. por cerca de dois anos de idade, e raças de cães de grande porte como Newfoundlands, São Bernardo , Great Danes, etc. são adolescentes de até três anos de idade.

Os cães sofrem alterações comportamentais devidos ao aumento de hormonas sexuais. Os cães se tornam agressivos, muitas vezes marcam territórios por urinar na casa, quintal ou sobre qualquer coisa que eles consideram como sua propriedade. Eles podem até urinar sobre algum membro da família para marcá-lo como membro do bloco. Quando o cão macho cheira uma cadela, ele torna-se estimulado e irá concentrar-se apenas em acasalar com ela. Quando os donos desavisados ​​o impede de sair de casa, o cão se torna destrutivo e vai uivar e latir continuamente.

O cão vai continuar com este comportamento por mais de uma ou duas semanas, até que ele seja estimulado pelo cheiro da cadela . Se o cão consegue sair, ele vai enfrentar a concorrência com outros cães estimulados pelo cheiro da fêmea. Isto levará a lutas de cães. Se o seu cão ganha ou perde, ele provavelmente pode se machucar seriamente. É um mito que os cães devem ser autorizados a cruzar pelo menos uma vez em sua vida. A verdade é que, se ele for bem sucedido em acasalar com a fêmea, o seu comportamento mediado devido a testosterona vai ficar ainda mais intenso.

Isso mostra que a castração dos cães machos é bom para melhorar o comportamento do seu cão. Ele também reduz as chances de lesões  do seu cão  devido à maior agressividade  para as pessoas devido ao comportamento do cão por causa datestosterona mediada. Para a segurança de seu cão e aqueles ao seu redor, você deve procurar um médico e começar o cão a castrar.




Related posts

24 thoughts on “Comportamento do cão depois de castração

  1. Aquila

    Eu tenho dó de castrar meu cão

    1. Auster

      Se você tivesse sido mordido duas vezes e hostilizados em muitas outras , não teria.

      1. Simone

        Dó pq? Ele recebe anestesia. Não vai sentir falta dos testículos. E não precisando lutar contra os instintos, vai viver muito mais feliz! Ou vc deixa ele fazer tudo o q um cão “viril” tem vontade de fazer?

        1. Cris Sanna

          Vai ter mais se ele tiver um tumor…

    2. Cristina Fidelis

      Olha, tambem pensava desta forma, tenho um podoo de dois anos e tres meses e moro em apartamento, e de uns seis meses pra cá ele resolveu que minha casa deveria ser demarcada por ele em todos os cantos da casa, sendo assim a castração foi a forma que encontrei para acalmá-lo e que parasse de querer demarcar toda a casa. com dois dias de operado ja notamos nele uma grae diferença, esta mais calmo, só fez xixi no tapete higiênico esta bem melhor agora, sem contar que estamos também previnindo algumas doenças que custumam ter os caes ao castrados.
      12/07/2017 meu nome Cristina Fidelis sou do RJ Capital.

      1. Fábio Alves

        É mais fácil pagar para castrar o cão/cadela do que aumentar o numero e frequência dos passeios do cão. Muitos comportamentos indesejados podem ser corrigidos com manobras de adestramento básicas que qualquer pessoa poderá aprender, incluindo o dos cães macho que montam na perna de pessoas ou em outros animais. Para o animal, é um comportamento inocente. Para as pessoas, um constrangimento. Muitas vezes, o cão macho desenvolve esse comportamento indesejado quando está muito tempo preso e sem estímulos. Se vir o meu comentário principal, verá que na verdade as desvantagens da castração poderão superar as vantagens, na verdade.
        A testosterona (hormona sexual masculina) é muito importante para o bem estar físico e mental do cão macho, da mesma forma que os estrogénios/progesterona (hormonas sexuais femininas) também o são para as fêmeas, como por exemplo o brilho da pelagem e dos olhos, bem como manutenção de músculos, ossos e coração fortes e saudáveis (algo que também se vê nos humanos e noutras espécies de vertebrados). No entanto, esta hormona também aumenta a necessidade de exercício físico e atividade do animal. Um macho inteiro que esteja sempre confinado, poderá tentar descarregar a sua frustração por uma outra via, a via sexual. Dar-lhe uma atividade como correr atrás de uma bola e cansa-lo nos passeios geralmente resolve o problema, sem necessidade da castração.

  2. Angela

    Castrei meu cão devido a agressividade dele no banho e ninguém podia mexer na ração. Fazem dois meses, até agora a única diferença foi a ração que posso mexer o resto continua o mesmo.

    1. Fábio Alves

      Angela, isso acontece porque a agressividade que o cão manifesta no banho tem uma origem diferente da agressividade em relação ao sentimento de posse pela comida (que está diretamente relacionado nom o nível de testosterona, por isso é que os machos inteiros no geral são mais agressivos quando lhes mechemos na comida ou num brinquedo do que as fêmeas.
      O problema é que não nos dizem tudo acerca da castração. A retirada dos testículos diminui a possessividade do cão macho em relação à comida, brinquedos e fêmeas. Mas não reduz a agressividade que resulta do medo que ele poderá ter do banho, que na verdade poderá até aumentar, já que a falta de testosterona aumenta a ansiedade e depressão (um dos sintomas negativos da castração). No meu comentário principal poderá ver as consequências negativas da falta de testosterona e estrogénios/progesterona nos machos e fêmeas castrados. E elas são muitas.

    2. Fábio Alves

      A castração do cão macho não reduz a agressividade no geral, apenas o sentimento de posse em relação à comida, fêmeas e brinquedos que goste, já que estas posturas se devem em parte à testosterona elevada No entanto, a agressividade no banho mantem-se porque é uma agressividade de tipo diferente, derivada do medo do banho ou desconforto e não do sentimento de posse em relação ao que quer que seja.
      Tanto a possessividade como o medo podem ser corrigidos com manobras básicas de adestrador acessíveis a qualquer dono interessado em conhece-las e sem recurso a medidas radicais como a castração.
      Se vir no me comentário principal, a castração mais prejudica do que é benéfica, tanto para os machos como para as fêmeas. As hormonas sexuais são importantes para o corpo todo incluindo o bem estar psicológico e não apenas para o funcionamento dos órgãos sexuais e procriação. Entre alguns dos efeitos secundários psicológicos da castração nos machos e fêmeas está a depressão, letargia exacerbada, metabolismo lento (tiroide fica menos ativa), aumento de agressividade nas fêmeas e do medo nos machos, diminuição do brilho da pelagem e olhos, diminuição da massa óssea e cinzenta e maior predisposição à insuficiência cardíaca.

  3. lele

    estou com duvida se castro ou não gosto muito dele tenho medo dele mudar o comportamento e ficar um cão que eu ñ conhecer ele

  4. julietti

    Ola meu nome é julietti tenho um cao macho que castrei faz uns 8 dias ja, pois apareceu 2 bolas ao lado do penis dele uma de casa lado, alguem sabe me dizer porque isso aconteceu …

  5. julietti

    Ola meu nome é julietti tenho um cao macho que castrei faz uns 8 dias ja, pois apareceu 2 bolas ao lado do penis dele uma de cada lado, alguem sabe me dizer porque isso aconteceu …

  6. Bruno

    Existe algum risco à saude dele, pelo diminuição da produção de testosterona? Pode ter algum tipo de efeito colateral prejudicial à saúde dele mesmo que a longo prazo?

  7. Mariana Gonçalves

    Bom dia o meu tem um 1ano e é castrado mais o pênis do meu cão sai para fora todo e quando sai tabem vem os testículos juntos .Mais os cães castrado não tem testículo

  8. Mariana Gonçalves

    Cão esqueci

  9. katia

    meu pug é castrado e continua viril…. com cobertores almofadas etc. e tambem ficou muito mais ativo.. muito mais agitado … parece que acelerou mais ele.. ele tem crises de euforia

  10. Marcelino

    Favor uma dúvida. Meu cão foi castrado a 15 dias. Aí a fêmea entrou no cio. Preciso de algum cuidado?

  11. Evandra

    Meu cachorro foi castrado com 6 meses
    Era super bonzinho nunca fez nada de grave já comeu alguns chinelos nada mais
    Depois que castrei, ele está terrível já rasgou um colchão e hj rasgou meu sofá
    Ele mudou muito, querendo comer casa toda
    Estranho demais

  12. Maria

    Meu nome é Maria, exite alguma diferença de comportamento quando castra shitzu macho de 5 meses

  13. Fábio Alves

    Porque não falam nas desvantagens da castração ?! Elas existem sim !!!

    Eu recuso-me a castrar o meu cão (primeiro porque ele é super-manso para com desconhecidos fora de casa, embora nem tanto para com outros cães e gatos) e a minha cadela, não só por saber que a probabilidade de desenvolverem tumores embora aumentada, ainda assim é residual, assim como nos humanos (e que tem como principal causa não as hormonas sexuais, mas sobretudo agro-tóxicos entre outros poluentes que estão a contaminar toda a cadeia alimentar (onde seres humanos e outros animais estão incluídos). As hormonas sexuais apenas vão estimular o desenvolvimento de um tumor já existente, não sendo a causa do seu aparecimento, e podem ter que ser suprimidas temporariamente também nos humanos em casos de cancro na próstata e/ou mama.

    Falando-se dos machos, a castração química é usada como todos sabemos em homens que não conseguem controlar os impulsos sexuais ao molestarem mulheres e/ou crianças. Para além da desejável diminuição do impulso sexual, entre os sintomas negativos que a castração acarreta está o amolecimento dos ossos (com o passar dos anos), aumento de incidência de depressão (pode ser sentido quase instantaneamente), enfraquecimento do músculo cardíaco e vasoconstrição de artérias como por exemplo a aorta, sendo que as duas coisas juntas aumentam a probabilidade de dilatação do coração e insuficiência cardíaca posterior. Um miocárdio mais fraco estica mais facilmente. Um coração dilatado é um coração dilatado e não um coração grande e forte (como se pode ver nos jogadores de futebol). A explicação reside no facto de que a testosterona, longe de ser uma hormona apenas relacionada com o desejo sexual, não aumenta só os músculos do corpo (os chamados músculos estriados esqueléticos) como muita gente pensa. O músculo cardíaco é um músculo estriado também (para os que me entendem), e o único músculo estriado não esquelético que humanos e animais vertebrados apresentam, sendo também o musculo com mais receptores de testosterona/estrogénios do corpo, tanto no homem e mulher como no cão e cadela (porque a hormona masculina também existe nas mulheres e fêmeas, sendo também importante para elas, embora com um papel mais secundário do que nos machos).

    Falando-se das fêmeas, a castração também trás efeitos secundários indesejados. Pode aumentar a agressividade da fêmea (devido à falta de estrogénios no sangue, algo que não ocorreria sem castração).
    Nas mulheres e fêmeas de vertebrados, os estrogénios e progesterona desempenham um papel equivalente à da testosterona dos homens/machos. As moléculas de hormonas masculinas e femininas são quase iguais e existem muitas células no corpo com receptores que respondem de maneira similar a ambas, entre as quais os esteoblastos (células ósseas responsáveis pela formação de novo osso e substituição de tecido ósseo desgastado). Com a diminuição das hormonas sexuais tanto no macho como na fêmea, os esteoclastos (células responsáveis por remodelar os ossos, destruindo tecido velho) ficam mais ativos em relação à sua contraparte (os esteoblastos). Com o tempo, o resultado é o enfraquecimento ósseo, tal como ocorre nas mulheres após a menopausa, já que a menopausa é uma espécie de castração natural e que ocorre apenas na mulher e nas fêmeas dos grandes símios (chimpanzés, gorilas, orangotango). As fêmeas de mamíferos carnívoros como a cadela e a gata não passam por essa “castração” natural a que chamamos de menopausa, produzindo estrogénios/progesterona e podendo se reproduzir até à sua morte.

    Temos que ter em conta que tanto o excesso como a insuficiência tando da testosterona como dos estrogénios/progesterona são prejudiciais à saúde.

  14. Fábio Alves

    A castração, para trazer mais benefícios do que malefícios, devia de ser feita antes da puberdade e adolescência do animal, pois só ai o corpo não modificaria a produção da hormona de crescimento (que é a hormona responsável não só pelo crescimento em altura e largura do animal humano ou não, mas também pela substituição de tecido ósseo desgastado). Após a puberdade de um animal ou animal humano, as hormonas sexuais que estão a aumentar informam o cérebro de que chegou a hora de diminuir a produção da hormona de crescimento, sendo que passam estas (hormonas sexuais) a desempenhar grande parte do trabalho que a hormona de crescimento desempenhou até ai ao nível dos ossos e outros tecidos.
    Curiosamente, o primeiro efeito das hormonas sexuais é exactamente o oposto, aumentando numa fase muito inicial a produção da hormona de crescimento, dai o chamado estirão do crescimento (ou crescimento rápido da puberdade e inicio da adolescência, tanto nos humanos como noutros animais vertebrados). Mas isso é passageiro. É por assim dizer o “último grito” do crescimento em altura. Uma parte do cérebro (o hipotálamo) informa posteriormente a glândula hipófise para diminuir produção de hormona do crescimento no final da adolescência, sendo que o seu valor reduz-se para níveis quase de adulto (dez vezes inferior ao da cria/criança e/ou adolescente no final da adolescência, já que a hormona de crescimento deixa de ser tão importante como antes. Tal diminuição é necessária, uma vez que os estrogénios (hormonas sexuais femininas) e que são também produzidas nos machos/homem naturalmente, embora em menores quantidades do que nas fêmeas/mulher, são também responsáveis pela paragem do crescimento dos ossos longos dos membros anteriores e posteriores no final da adolescência, ao provocarem um endurecimento total da matriz desses ossos na maioria das espécies de mamíferos (que nos inclui a nós e aos cães/gatos) e nas aves.

    Um adulto sexualmente amadurecido que produza as mesmas quantidades de hormona do crescimento de uma cria/criança e/ou adolescente, irá desenvolver um tipo de gigantismo diferente, a acromegália, sendo que não se dá aumento de altura , mas apenas aumento do tamanho do crânio, tórax, ossos da bacia e respectivos órgãos internos do tronco e cabeça, mãos e pés (nos humanos e outros macacos), o que se traduz num aumento da massa corporal e peso, trazendo complicações para a saúde. Como tal, em condições normais, se os ossos dos membros anteriores e posteriores já estão consolidados pelos estrogénios, as hormonas sexuais informam o cérebro para diminuírem a produção da hormona de crescimento.

    Embora menos prejudicial, quando realizada antes da puberdade, a castração pode trazer como consequência o chamado gigantismo hipogonadotrófico (um crescimento demasiado prelongado que ocorre em animais ou pessoas que foram castrados antes da puberdade.

    Os chamados capões (galos que foram castrados antes da puberdade), devem o seu tamanho maior do que o normal ao facto de terem tido a sua infância prolongada em idade de já ser adulto, ou seja, em idade de se reproduzirem. Nos humanos e nos cães/gatos não é diferente. O ser e sentir-se adulto é em parte consequência das hormonas sexuais. Dai a velha expressão de que “os velhinhos volta a ser crianças”, pois os seus corpos já não produzem hormonas sexuais como antes, não só pela dependência maior dos idosos, mas também porque eles se sentem de facto mais indefesos como se crianças voltassem a ser. Como não há aumento das hormonas sexuais, o cérebro não é informado da chegada da puberdade (já que ela não chega de todo nem vai chegar), nem os ossos longos são totalmente consolidados (já que falta estrogénio neles), mantendo as chamadas zonas de crescimento e conjunção abertas como numa cria/criança, continuando a pessoa castrada ou animal a crescer numa idade em que já devia de ter parado de crescer e ser sexualmente maduro. No caso dos mamiferos como o homem e o cão/gato, o resultado são membros desproporcionalmente compridos em relação ao tronco e que não param de crescer, além da ausencia dos caracteres sexuais secundários.

    Após a puberdade e adolescência, o corpo e cérebro do animal/pessoa fica por assim dizer viciado e dependente das hormonas sexuais produzidas pelas gónadas (testículos/ovários), já que não há qualquer compensação como aumento da hormona de crescimento para ir cobrir a tarefa agora desempenhada em grande parte pelas hormonas sexuais quando estas diminuem por uma razão qualquer ou desaparecem.

  15. Fábio Alves

    Fiquem atentos. A tristeza que o castrado sente não ocorre só nos humanos (já que supostamente apenas os humanos associam a castração à perda da potência sexual e/ou desejo). Também ocorre nos animais e deve-se não à consciência do “estou impotente”, ou “sinto-me menos macho/homem ou menos fêmea/mulher” (supostamente apenas sentida por humanos), mas ao facto de tanto os estrogénios como a testosterona terem receptores à espera das suas moléculas nos neurónios do cérebro todo.

    Muito do que motiva um macho a viver é a busca por uma parceira. A dopamina (um neurotransmissor responsável pelo prazer tanto pela comida como pelo sexo (e jogo no caso dos humanos), é em parte estimulada pela testosterona, e as endorfinas e prolactina (responsáveis pelo alivio da dor e pelo instinto paternal/maternal) em parte estimuladas pelos estrogénios. É por isso que os machos castrados além de ficarem menos dominantes (o comportamento dominante pode trazer agressividade) e “tarados”, também deprimem e as fêmeas castradas ficam mais agressivas e igualmente deprimidas também.

    Existe um efeito da testosterona que ocorre em todos os animais e que é infelizmente considerado pelos humanos como negativo. A agressividade. E mesmo esta última precisa de mais estudos para demostrarem que é a testosterona de facto que aumenta a agressividade directamente, o que no meu entender não é.
    Um cão macho inteiro bem adestrado, mesmo que apresente um nível de testosterona elevado, será obediente para com o seu dono e um entusiasta por actividades de todos os tipos que envolvam brincadeiras e esforço físico e mental. Parte desse entusiasmo desaparece com a castração e o desaparecimento da hormona masculina, assim como ocorre naturalmente numa pessoa/animal que está a envelhecer e a diminuir a produção das suas hormonas no geral.

    É importante saber ensinar ou adestrar cães de raças que apresentam naturalmente um nível de testosterona elevado como o rottweiler e o pitbull por exemplo. O cão tem de sentir que é o seu dono o elemento alfa da família e que este é capaz de se impor. De contrário, poderá por à prova a liderança do dono, algo que não acontece em machos/fêmeas inteiros adestrados (ou em machos que foram castrados, mas que aumenta nas fêmeas após a castração).

    O passeio é extremamente importante para regular comportamentos negativos de um animal. Lembro-me bem que quando trouxemos o nosso cão aqui para casa, ele tinha o hábito de se fazer às pernas das pessoas e simular a cópula. Eu consegui contornar esse problema com o tempo apenas com manobras de adestração básicas e passeio, ou seja, dando ao cão uma tarefa ou tarefas e uma distracção. Claro que se aparecer uma cadela no cio, ele irá desobedecer à minha chamada, caso esteja sem a trela, pois o instinto de acasalar é forte, sobretudo nos machos (a quem a natureza ofereceu a tarefa evolutiva de tomar a iniciativa). Mas mesmo essa desobediência e insistência em ir atrás da fêmea não dura muito tempo.
    A simulação da cópula em cães que se fazem às pernas das pessoas deve-se em grande parte à frustração do animal quando está muito tempo preso pela correia a uma casota por exemplo, ou quando se sente constrangido de alguma forma. Como não pode reagir com agressividade, poderá tentar descarregar por uma outra via que para ele é inocente. A testosterona não é responsável apenas pela libido. Também aumenta a necessidade por exercício físico e melhora a recuperação após um treino e o sono posterior, sendo também um regulador natural do apetite por comida. Como deixa de haver testosterona no cérebro que estimule o neurotransmissor do prazer (dopamina), o animal passa a procurar por uma outra fonte que estimule este neurotransmissor, comendo mais do que antes ou querendo comer mais.
    Os efeitos positivos tanto da testosterona como dos estrogénios/progesterona não se ficam por aqui. Mas aqui mencionei apenas os mais importantes.

  16. Pikachu

    E os efeitos indesejados e prejudiciais à saúde dos cães castrados? Só faltou o link para a clínica veterinária.

  17. Kena

    Eu levei minha cachorra para castrar, mas ela mudou muito, não sai de casa, não levanta para comer e so levanta se eu ajudar ela mas ela não quer sair do canto dela, e ela normalmente é super alegre e levanta na hora para comer, ela é meio devagar mas após a castração ela se mexe muito rápido e bem agitada, não gostei de ela ter mudado. Dei uns remédios que a Veterinaria recomendou é um cicatrizante. Quero que minha cachorrinha muda ao normal, ela é uma Vira-lata, vocês sabem se ela vai voltar ao normal?

    Aguardo os comentários. Kena

Leave a Comment