Como tratar a cetoacidose diabética em cães

A cetoacidose diabética é uma doença grave em cães que exige amplo tratamento para a recuperação. Este artigo cobre os sintomas, tratamento e medidas preventivas para cetoacidose em cães.

A diabetes é uma condição muito comum médica que surge em seres humanos. Animais de estimação, incluindo cães e gatos também são tão suscetíveis a esta doença como seres humanos. Quando  diabetes em cães é deixada não identificada ou é inadequadamente tratada, leva a uma condição muito séria conhecida como “cetoacidose diabética” (CAD). É uma condição com risco de vida e pode ser fatal se não tratada. Caracteriza-se pelo nível elevado de glicose no sangue, a presença de cetonas na urina, e níveis reduzidos de bicarbonato no sangue. Os cães que sofrem desta condição médica estão gravemente doentes e desenvolvem outras complicações também.

Os sintomas associados
Cetoacidose diabética nos cães produz os seguintes sintomas –

  • A perda de peso
  • Vómitos
  • Depressão
  • Dor abdominal
  • Letargia e fadiga
  • Perda de apetite
  • Perda súbita da visão
  • Aumento da sede
  • Aumento da frequência urinária

Tratamento previsto
Se a condição do cão é relativamente estável, os veterinários administram curta ação, injeções de insulina cristalinas em intervalos regulares para trazer de volta a glicose do sangue para o nível normal. Administração regular de insulina gradualmente controla o nível de glicose no soro e níveis de cetonas na urina do cão. Insulina cristalina é administrada por via intravenosa ou por via intramuscular a cada hora até que o nível de glucose no corpo seja reduzido para o normal. Dextrose é também administrado juntamente com outros líquidos para evitar níveis de glicose caia muito abaixo dos níveis normais, depois que o cão é submetido a uma dose de insulina.

Cães severamente doentes são tratados de uma forma diferente, em comparação com os cães relativamente estáveis. O tratamento inclui a substituição do fluido de déficit no corpo do cão e manutenção do equilíbrio de fluidos do corpo. Bicarbonato é administrado para manter o equilíbrio  de ácido-base do corpo. Muitos cães recuperam-se depois de ser tratados de forma justa com os fluidos. Os que não se recuperam bem são tratados com insulina  para controlar o nível de açúcar no seu sangue. Complicações graves como a anemia devido à destruição de glóbulos vermelhos podem ocorrer durante o tratamento de cetoacidose diabética, que é controlada através da administração de suplementos de fosfato em cães.

É importante para controlar o nível de glucose e trazer de volta as anomalias electrolíticas para um nível normal de forma gradual, pois o controlo rápido desses níveis pode conduzir a sintomas neurológicos e os danos das células cerebrais. Monitorização cuidadosa das concentrações de potássio e fósforo deve ser feita para que os suplementos necessários possam ser administrados como e quando necessário.

Complicações associadas, como insuficiência renal aguda, pancreatite e infecções bacterianas podem ocorrer juntamente com cetoacidose. O tratamento destas complicações é também realizado simultaneamente. A insuficiência renal é tratada com fluidos, e os antibióticos são administrados para reduzir infecções bacterianas. O tratamento com antibióticos é fornecido, mesmo quando as infecções não são evidentes, a fim de controlar os problemas que podem surgir no caso de haver uma infecção.

Após a recuperação justa, insulina de acção prolongada é incluída no tratamento. Quando o cão é ainda melhor, o dono do animal é aconselhado a levar seu animal de estimação em casa, onde ele pode seguir um regime de insulina regular para o seu cão.

Medidas Preventivas
Não existem meios específicos para prevenir DKA em cães. Um modo de prevenir DKA é evitar dar alimentos com alto teor de gordura para o animal de estimação. Alta de alimentos gordurosos pode provocar pancreatite que pode levar a cetoacidose. A melhor medida de prevenção é olhar para os sintomas de diabetes em cães. Isso vai ajudar a identificar a condição em um estágio muito precoce para que o tratamento pode ser fornecido, e as chances de desenvolver cetoacidose são reduzidas.

Se os sintomas de cetoacidose diabética são evidentes em seu cão, leve-o imediatamente a um veterinário para check-up. O veterinário irá diagnosticar a doença com a ajuda do exame de sangue, exame de urina, exame físico e sinais de cetoacidose. Testes positivos vão mostrar nível de glicose elevado no sangue e a presença de corpos cetônicos na urina. Junto com estes, um cheiro frutado na respiração do cão vai confirmar a condição no cão. Uma vez confirmada, certifique-se de cuidar de seu cão muito bem para que ele possa superar a sua condição crítica e se tornar saudável novamente.




Related posts

Leave a Comment